Este site usa cookies para melhorar a sua utilização.

VIII Encontro Anual A Europa e o Mundo 
A Europa do Centro e das Periferias
16-17 | abril | 2020
Sala S02, Colégio Almada Negreiros, Lisboa

 

 

Em conformidade com as indicações Reitoria da Universidade NOVA de Lisboa e da Direção do IPRI-NOVA, este evento foi suspenso até informação em contrário.

Organização e Comissão Científica

Maria Fernanda Rollo (NOVA FCSH);
Maria Manuela Tavares Ribeiro (FL-UC, CEIS20-UC);
Alice Cunha (IPRI – NOVA FCSH);
Isabel Maria Freitas Valente (CEIS20 / III-UC) 

No âmbito da parceria entre a NOVA FCSH e o CEIS20, realizar-se-á, em entre 16 e 17 de abril de 2020 o VIII Encontro Anual A Europa e o Mundo, subordinado ao tema «A Europa do Centro e das Periferias». A conferência decorre na Sala S02 do Colégio Almada Negreiros, em Lisboa.

Associados a uma perceção de desenvolvimento e subdesenvolvimento dos países no mercado global, os conceitos de centro e de periferia na União Europeia (UE) permanecem tanto presentes como abstratos. Ao evocarmos o modelo de «centro-periferia», Estados-membros como a Alemanha, a França ou a Itália, fariam parte do «centro», enquanto outros – particularmente os do Sul e do Leste da Europa – seriam incluídos na «periferia«, ficando esta sujeita às decisões tomadas pelo centro.

Esta visão, embebida da doutrina realista das Relações Internacionais, por oposição a um modelo de Europa baseado na solidariedade e na cooperação entre Estados e povos, é importante para a compreensão geral da União Europeia e, em particular, do desenvolvimento regional. Na realidade, na génese da própria UE consta o objetivo da promoção da integração económica dos seus Estados-membros, assim como o propósito da convergência económica entre Estados e regiões.

As sucessivas rondas de alargamentos, ampliando a disparidade de desenvolvimento entre os Estados-membros e, mais recentemente, a crise das dívidas soberanas, têm renovado o paradigma «centro-periferia». Desde há muito que se fala numa «Europa a duas velocidades» (embora o conceito e o debate não sejam pacíficos entre os Estados-membros), sendo que, na realidade, coexistem na UE «várias Europas» (de Schengen, do Euro) e um diretório central de Estados, que toma as grandes decisões a nível do aprofundamento da integração europeia.

As línguas de trabalho são o Português e o Inglês. Não haverá tradução simultânea.

A publicação dos textos apresentados na conferência está prevista, após um processo de arbitragem científica.

Entrada livre.

Poster

Participantes

fct      fcsh      edp      edp      edp      ribei