Projecto: Democracia em Tempos de Crise: Poder e Discurso num jogo de três níveis - DemoCris

Fonte de Financiamento: FCT (PTDC/IVC-CPO/2247/2014)

Instituições Participantes: IPRI-NOVA e Instituto de Filosofia da Linguagem (IFL-FCSH)

Período de realização: 2016-2019

Resumo: Apesar dos numerosos estudos que se têm vindo a debruçar sobre o conteúdo e os efeitos das reformas aprovadas em muitos países durante a crise (o quê?), sabemos ainda pouco sobre os processos que conduzem à sua adopção (o como?). Ademais, na escassa literatura que lida com este tópico coexistem duas narrativas contraditórias. Alguns autores argumentam que os governos têm sido forçados, contra a sua vontade, a aplicar reformas muito específicas a troco de resgates financeiros sob a forma de empréstimos ou após chantagem implícita por parte do BCE. Outros estudos afirmam, pelo contrário, que a crise deu poder aos governos para aprovar reformas que desde sempre desejavam implementar. Qual das narrativas é a correcta? E que problemas de escrutínio e responsabilização política se colocam? Este projecto trata destas questões.

Membros da Equipa:

Adam Standring
Alexandre Afonso
Ana Marta Guillén
Angie Gago
António Dias
Catherine Moury 
(Coordenadora)
Daniel Cardoso
Dima Mohammed

Edna Costa
Elisabetta De Giorgi
Enrico Borghetto
Federico Russo
Jonathan Hopkin
José Tavares
Kenneth Dubin
Madalena Meyer Resende
Marcin Lewinski
Marco Lisi
Pellegrino Cammino
Rui Branco
Stefano Sacchi
Styliani Ladi
Tiago Moreira de Sá
Tiago Fernandes
Vasiliki Tsagkroni

FCT logobrancoFCSH logobrancoTEPSA logobrancoRIBEI logobranco